Proteção em Nuvem

Tecnologias virtuais despontaram em diversas vertentes nos últimos anos – telefonia, jogos e lazer, entre outros – e chega o momento da segurança ganhar a vez. Em tempos nos quais a proteção do computador torna-se questão primária (leia-se “alvo de hackers”), um antivírus gratuito da empresa brasileira PSafe usa uma plataforma inusitada: a computação em nuvem 9do termo “cloud computing”).

O presidente da PSafe, Marco De Mello, explica o objetivo de seu produto: “A proposta do PSafe Antivirus é democratizar o acesso à segurança do computador pessoal para todos os brasileiros. Não tem versão paga, não tem versão premium.”

O executivo diz que o antivírus remove toda a ameaça e código malicioso, mantendo o computador protegido. Segundo De Mello, em pouco mais de 10 meses de produção, já há mais de um milhão de usuários: “Nosso modelo de segurança em nuvem parte da premissa de que a segurança deve vir de fora pra dentro. E não o contrário. Os nossos servidores mantém uma base de sete bilhões de assinaturas e tém crescimento de mais de 17 mil novas assinaturas por dia”.

Quem usa?

O presidente da PSafe não esconde o público-alvo: “Por ser gratuito, nosso foco inicial era a classe C. Mas temos todo tipo de usuário. A atualização é automáticae, como o antivírus é leve, também pode ser usado tranquilamente em conexão discada.

Como usar?

A empresa oferece, também gratuitamente, armazenamento de arquivos em nuvem. Pacote de 2GB do LockBox comporta 16 mil documentos, 800 fotos, 500 músicas e nove horas de vídeo. Os produtos podem ser baixados em www.psafe.com.

Jornal O Dia 8/2/2012