Rede social acadêmica Passei Direto lança aplicativo para Android e iOS

Qual o aluno que, na sala, não levou uma bronca do professor do tipo “Larga esse celular e vai estudar”? Essa equação pode agora ser invertida: “Pega esse celular e vai estudar”.

O Passei Direto, rede social acadêmica criada pelos universitários cariocas Rodrigo Salvador e André Simões, que soma 740 mil estudantes cadastrados, de 95% das faculdades do país, tem uma versão mobile para Android e iOS. Pilhas de xerox, anotações, testes, calendários, que os alunos já tinham convertido em arquivos digitais no site Passei Direto, estão disponíveis na versão mobile. “Mobile é o futuro e, no nosso caso, não é diferente. Lançamos o aplicativo e em três horas 10 mil usuários já tinham baixado. É o que tenho mais orgulho de ter feito até hoje, pois possibilita ao aluno estudar, encontrar suas matérias, interagir com outros colegas a qualquer hora fora da sala de aula. É a rede acadêmica na palma da mão”, disse Rodrigo. O Passei Direto, que entrou no ar em agosto de 2012, teve tanto sucesso que, pouco mais de um mês depois, com 200 mil usuários de 40 universidades, precisou ser fechado para ser reestruturado de modo a garantir o acesso e a boa navegação – com 80 mil universitários na fila de espera. Em setembro a rede foi reaberta e, dois meses depois, ruma aos 750 mil usuários. Os rapazes têm a expectativa de chegar a um milhão de usuários ainda em 2013. Os cariocas Rodrigo, de 24 anos, e André, de 26, ambos alunos da PUC-RJ, hoje se dedicam ao projeto mais de dez horas por dia. A equipe original de 5 pessoas cresceu para 20, e, de um servidor, a rede hoje conta com oito. A empresa funciona em uma cobertura em Copacabana, na Zona Sul do Rio, onde fica a sede do Grupo Xangô, holding brasileira que cria e acelera startups de tecnologia, e que foi a primeira a apostar no projeto dos jovens. “A gente pretende crescer muito nas próximas semanas a partir do mobile. E também vamos lançar um site novo, com nova cara na semana que vem. Nossa página no Facebook é bem divertida, mas a gente achava o site mais formal. Queremos uma cara mais alegre, mais light. A gente quer melhorar a usabilidade do site e reforçar a identidade”, diz Rodrigo. O site, nascido no Rio de Janeiro, hoje é mais acessado por alunos de Minas Gerais e de São Paulo e, depois de ter tido no início o acesso maior de alunos de tecnologia e engenharia, atualmente são os de direito e administração os maiores usuários seguidos por engenharia civil, contabilidade e pedagogia. Para se cadastrar, o aluno tem que informar sua faculdade e curso. Para 2014, o Passei Direto tem o projeto de abrir suas portas para qualquer interessado não vinculado a uma universidade, e para alunos do ensino médio e de pós-graduação. O retorno financeiro também está previsto para o próximo ano. “Tem empresas interessadas em fazer publicidade, mas a gente quer campanhas que agreguem valor aos alunos. Teremos especialistas para tirar dúvidas dos estudantes e suas empresas poderão fazer sua propaganda, assim como empresas de recrutamento de estagiários e trainees”, disse Rodrigo, anunciando também, para março de 2014, a plataforma para empresas recrutarem alunos.

G1 Read the original story 15/11/2013